Foto: Carlos Magno

Casa Civil promove I encontro da Rede de Planejamento

A Secretaria da Casa Civil e Governança promoveu, nesta quinta-feira (06/02), o I encontro da Rede de Planejamento do Estado do Rio de Janeiro. O objetivo é integrar as áreas setoriais de cada secretaria e órgão da administração estadual a fim de estimular a troca de experiências. Liderada pela subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão, a iniciativa foi aprimorada para um novo formato em 2020, que visa uma maior comunicação entre os funcionários.

 

- As redes de planejamento são grupos de pessoas que interagem e trocam experiências, se ajudam e refletem sobre as boas práticas, em diferentes pontos do Estado, dentro da temática planejamento. Ou seja, são pessoas que estão desenvolvendo trabalhos importantes e específicos e estes bons exemplos são transmitidos para outras pessoas que, ao mesmo tempo, também estão aprendendo outras práticas. Todos trabalham em busca do mesmo objetivo: melhorar o funcionamento do Estado e as entregas para a sociedade – explicou o subsecretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, Bruno Schettini, durante a abertura do evento, no auditório da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), no Centro da cidade.

 

- As redes de planejamento já existiam em outro formato. Nesta gestão, aperfeiçoamos o modelo. O grande diferencial é que, a partir de agora, a Rede conta com integrantes que falam entre si. Antes, o funcionamento era através de uma área central que ditava o que precisava ser realizado. Portanto, além de haver muitas pontas soltas, os elementos se sentiam conectados apenas com o órgão central da Rede. Agora, todos se conectam – pontuou Schettini.

 

Bons exemplos

 

Durante o encontro, o Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e as Secretarias de Estado de Ambiente e Sustentabilidade, Desenvolvimento Social e Diretos Humanos e de Defesa Civil, apresentaram cases que contribuíram de forma positiva no processo de elaboração do Projeto de Lei do Plano Plurianual (PPA) 2020-2023. Com um caráter de trabalho coletivo e realizado por diferentes áreas de atuação do Governo, a Rede de Planejamento foi posta em prática, o que resultou na definição de 57 programas, sendo 50 somente do Executivo, que estão divididos em quatro eixos – Segurança Cidadã e Jurídica, Modernização da Gestão e Governança, Desenvolvimento Econômico e Regionalização e Desenvolvimento Humano e Social.

 

Ação estadual elogiada

 

Para o professor do Mestrado Profissionalizante da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Francisco Gaetani, que apresentou a palestra “A atividade de planejamento no contexto atual”, a Rede de Planejamento pode gerar desdobramentos a curto, médio e longo prazo.

 

- A iniciativa do Governo do Estado explora a capacidade de todos os setores de trabalharem juntos. No mundo hoje, em que a tecnologia coloca todos vivendo no ‘tempo real’, colocar o Estado conjuntamente na busca de soluções potencializa o que a administração pública pode entregar à sociedade. Acho muito promissora essa iniciativa do Rio de Janeiro e, até mesmo, desafiante, pois coloca as pessoas para trabalharem fora do “seu respectivo quadrado”, uma vez que, em quase todos os problemas de um governo envolve mais de um setor e mais de uma secretaria. Um exemplo prático disso é que, em casos de enchentes, vários órgãos precisam atuar simultaneamente e se coordenando. Um não manda no outro e sim, trabalham juntos. Essa coordenação intergovernamental e intragovernamental é um dos principais desafios de alguns países, não só do Brasil. Por isso, o Governo do Rio está trabalhando em uma temática que é contemporânea, cosmopolita e que pode fazer a diferença para o Estado – afirmou Gaetani, que também é doutor em Administração Pública pela London Scholl of Economics and Political Science.

Por Carolina Perez

1º Encontro da Rede de Planejamento do Estado do Rio de Janeiro

Programação

Apresentações

A ATIVIDADE DE PLANEJAMENTO NO CONTEXTO ATUAL - Francisco Gaetani, professor da EBAPE/FGV e consultor

 

A MULTISSETORIALIDADE NO PLANEJAMENTO DE PROGRAMAS

Luiza Trabuco, superintendente de Segurança Alimentar da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

O PAPEL DAS REDES INTERNAS NOS PROCESSOS DE PLANEJAMENTO

Débora Calile, assessora de Planejamento e Orçamento, e Letícia Alves dos Santos, analista, da Secretaria de Estado de Ambiente e Sustentabilidade.

Milena Suhett, assessora de Planejamento e Gestão do Instituto Estadual do Ambiente.

A CONSTRUÇÃO DE INDICADORES DE RESULTADO PARA AÇÕES DO PPAJankel Grubman Voto, assessor-chefe de Planejamento da Secretaria de Estado de Defesa Civil

PRÓXIMOS PASSOS DA REDE DE PLANEJAMENTORafael Abreu, superintendente de Planejamento da Secretaria da Casa Civil e Governança, e equipe